1989 – Cygnus X-3 a Primeira Mídia do GEA

 

 

Até o ano de 1989 o Grupo de estudos de Astronomia era mantido com recursos das mensalidades pagas pelos seus sócios, que se dividiam em fundadores, patrimoniais e estudantes. O preço estabelecido para um sócio patrimonial era o da capa de uma revista “Astronomy” importada dos Estados Unidos. Esta prática prevaleceu até o início de 1989, a partir daí  as atividades passaram a ser custeadas como recurso das inscrições dos cursos que até então eram gratuitos e muitas vezes não eram freqüentados a contento. A prática da cobrança de também inibia muitas vezes o comparecimento do sócio inadimplente ou mesmo estudante que não tinha condições de se associar.

Praticamente após cinco anos se reunindo sistematicamente todas as semanas o Grupo de estudos de astronomia sente a necessidade de intensificar o número de freqüentadores de sua reuniões que continuavam em torno de 15 participantes por palestra ministrada nas sextas feiras. Nasce então a idéia de produzir o primeiro informativo do Grupo que circularia gratuitamente entre os freqüentadores mais assíduos e também seria oferecido aos alunos que vinham fazer os cursos de introdução à astronomia . A idéia era manter um elo extra muros do campus onde os ex-freqüentadores poderiam retornar as atividades programadas.

Em um mundo sem Internet, e sem possibilidade de divulgação na imprensa radiofônica ou televisada,  a  solução foi para criação de um informativo custeado pela Planetário da UFSC. No mês de fevereiro de 1989, Eu e Celso Pereira lançamos mão da idéia e saímos a luta. Primeiramente a  escolha do nome foi feita por Celso Pereira e rapidamente aceita, Cygnus X3.  A escolha do nome está relacionada o vanguardismo científico que representava o objeto celeste para aquela época, recém descoberto o Cygnus x-3 era um classificado como um micro quazar composto uma sistema binário e estrelas, que desafiava as teorias de física estelar da época.

 

Micro Quazar Cynus x-3

 

O local onde o primeiro exemplar do Cygnus X-3 foi datilografado foi no Serviço de Finaças do Hospital Universitário da Universidade Federal de Santa Catarina, local onde Eu trabalhava e dispunha de uma máquina de escrever “Olivetti Et 121 Elétrica”. Esta máquina dispunha de um sistema de margaridas que podia alterar o tamanho das letras, e também um importante sistema de correção onde o datilógrafo podia apagar as letras digitadas erradas. O primieiro Cygnus X-3 por possuir 4 páginas levou cerca de quatro dias para estar pronto para ser xerocado e distribuído via Correios.

 

Cynus x-3  - Primeira página

 

Cynus x-3 – Página 2

Cynus x-3 – Página 3

 

Cynus x-3 – Página 4

 

O exemplar de número 1 de março de 1989, foi coordenado por mim, com participação de Celso pereira e  contou com a colaboração de notícias de: Newton Tesseroli , Adolfo Stotz, Alfredo Martins e Avelino Alves entre outros.  A partir de 1994 os boletins informativos passaram ser editados por José Tadeu Pinheiro e sua tiragem passou a ser trimestral. Hoje ele cumpre ainda o seu papel em conjunto com as outras mídias existentes, home page, Listas. Twitter, Orkut, radio e televisão e jornais.

Veja mais materiais sobre está tópico clicando em: http://www.gea.org.br/informativos.html

 

 

Volta Para Menu