2023

A Cápsula do Tempo do Cometa 1P/Halley

PRÓLOGO

Fonte: Alfredo Martins.

O ano de 2023 contém uma efeméride muito importante – o afélio do Cometa 1P/Halley e seu consequente retorno ao periélio, tal qual realizou em 9 de fevereiro de 1986. Nesta ocasião de sua última aparição, uma efervescência na comunidade astronômica nacional e internacional aconteceu diante de uma conjunção especial de fatores, entre eles:

a possibilidade de se observar um cometa à vista desarmada, fenômeno pouco comum;

a importância deste astro na história da astronomia por ser ele o primeiro a ter sua órbita determinada e seu retorno previsto para o ano de 1759, façanha do grande astrônomo inglês Edmond Halley e, por isto, recebeu seu nome com a numeração 1P indicando ser ele o primeiro cometa periódico descoberto. Nesta relevante descoberta, é imperdoável não citar a participação fundamental de Isaac Newton e sua ainda não publicada à época Lei da Gravitação Universal;

a lembrança da última passagem periélica deste já famoso cometa quando estudo de espectroscopia de sua coma indicou presença do gás tóxico Cianogênio, erroneamente suspeito de intoxicar a atmosfera da Terra e o que de fato não aconteceu;

a sensacional época vivenciada pela astronomia, impulsionada pela conquista da Lua nos anos 60, por espetaculares missões interplanetárias da NASA a exemplo das Viking ao planeta Marte e Voyager’s aos planetas gigantes gasosos nos anos 70 e, muito importante, a divulgação pública da astronomia capitaneada por Carl Sagan, com destaque para sua Série Televisiva Cosmos lançada em 1980;

a fabricação de telescópios e binóculos com preços acessíveis tendo como consequência a proliferação de clubes amadores de astronomia.

Desta abundância de conhecimentos e condições de estruturação, apoiados por entidades de ensino, aqui em Florianópolis a chamada Halleymania também floresceu. Nossa Universidade Federal, a UFSC, acolheu o núcleo de observação do Cometa Halley com a importante participação de seu Planetário e contratação do muito experiente astrônomo nativo Avelino Alcebíades Alves. Em seu entorno por consequência agregaram-se populares aficionados aos encantos do Céu, surgindo daí o Grupo de Estudos de Astronomia, conhecido nacionalmente como GEA

Nascido sob a égide do Cometa Halley e permanecido vinculado ao Planetário UFSC por acordo de cooperação técnica, o GEA prosperou em número de associados e demandas de divulgação pública da astronomia, sendo “Alma Mater” da comunidade acadêmica e público em geral, proporcionando palestras, cursos e observações de eventos celestes ininterruptamente neste período de 37 anos em que o seu germe cometário já agora retorna dos confins do Sistema Solar para novamente se apresentar aos céus do ano de 2061.

No sentido de resgatar e preservar o momento histórico da última aparição do Cometa Halley em 1986 e a preciosa decorrência da criação do GEA, realizamos um marco de memória concretizado numa CÁPSULA DO TEMPO DO COMETA HALLEY contendo dezenas de itens entre, livros, revistas, artigos de jornais, cartas celestes e mídia eletrônica com a aula celebrativa deste evento intitulada “Cometas: Da era mítica à ciência de Edmond Halley” proferida por Alfredo Martins, além de imagens deste evento e sua repercussão na mídia.

Com a proposta de abertura em 2061, próximo periélio do Cometa Halley, esperamos ter contribuído para a cultura astronômica de nossa cidade e, especialmente, justificar e homenagear o GEA – Grupo de Estudos de Astronomia por todo seu contínuo esforço de iluminar e inspirar com conhecimentos científicos nossa entusiasmada comunidade.

TIMELINE DO COMETA 1/P HALLEY

Alfredo Martins / 2023 08 18

240 A.E.C. – 1ª OBSERVAÇÃO CONFIRMADA DO COMETA HALLEY NA CHINA.
146 A.E.C. – OBSERVADO NA BABILÔNIA.
1. 301 – OBSERVADO POR GIOTO; PINTURA DA “ANUNCIAÇÃO” EM 1.305.
1. 531 – REGISTRO DE COMETA C/ ÓRBITA RETRÓGRADA RECUPERADO Por HALLEY.
1.607 – REGISTRO DE COMETA C/ ÓRBITA RETRÓGRADA RECUPERADO Por HALLEY.
1.682 – COMETA COM ÓRBITA RETRÓGRADA OBSERVADO POR HALLEY ( P ~ 76 anos).
1.684 – HALLEY CONSULTA ISAAC NEWTON SOBRE RELAÇÃO DE SUA T. DA GRAVITAÇÃO
C/ A 3ª LEI DE KEPLLER – TERIAM OS COMETAS ÓRBITAS SEMELHANTES AOS PLANETAS?
NESTE CASO, O “COMETA” RETORNARIA EM 1.758 ~ 1.759 .
1.740 – NOMEADO “ASTRÔNOMO REAL” (O 2º NA SUCESSÃO).
1.742 01 14 (86 a) – FALECE EDMOND HALLEY, NA CADEIRA DO OBSERV. DE GREENWICH.
1.759 – OBSERVADO O RETORNO DO “COMETA COM ÓRBITA RETRÓGRADA PERIÓDICO”.
1. 759 – ROYAL SOCIETY NOMEIA O COMETA DE 1.759 DE 1P / Halley (indicado p/ Lacaille).
1.910 – 1/P Halley FAZ PERIÉLIO BRILHANTE TENDO SIDO ESTUDADO (spm) E REPERCUTIDO.
1.986 – 1/P Halley FOI OBSERVADO P/ GEA; GRANDE DIVULGAÇÃO PÚBLICA; SONDAS ESP.
2.023 – AFÉLIO DO 1/P Halley – CELEBRANDO 1/2 ÓRBITA DO COMETA ( ~ 38 anos).
2.061 – RETORNO DO 1/P Halley – ABERTURA DA CÁPSULA DO TEMPO DO COMETA.

PS: PRONÚNCIA DO SOBRENOME HALLEY
“Hélei”, Hêilei”, “Hólei”, “Hawley”, ‘Hailey”, ”Haly, “Hal-ly”, “Haley”…
Designação “Hélei” é + familiar e “Hêilei” é + popular (Bill Halleys e seus Cometas).

FOTOS DO EVENTO CÁPSULA DO TEMPO DO COMETA HALLEY

PLANETÁRIO UFSC EM 2023 08 18

STAFF GEA PRESENTE NO EVENTO “CÁPSULA DO TEMPO”

Em pé da esquerda à direita:
Flaviano da Cunha Jr, Edi Seib, Angela Tresinari Bernardes, Claudemir Marcos Radetski, José Tadeu Pinheiro, Júlio César Fernandes, Daniel Bráulio Cordeiro, Cleber Lima Chaves, Marcos Boheme.

Sentados da esquerda à direita:
Ayrton José Martins, Alfredo Martins, Jacqueline Silva, Frederico de Freitas Taves, Sérgio Schmiegelow, Adolfo Stotz Neto.

REPORTAGENS DAS MÍDIAS

AGECOM

ND+

Cápsula do tempo celebra história do cometa Halley em evento na UFSC

Grupo de Astronomia que observou passagem do comenta 1986, e que só será observado novamente em 2061, escolheu 2023, no intervalo das duas aparições, para criar mais memória.

VALESKA LOUREIRO, FLORIANÓPOLIS 19/08/2023 ÀS 04H30

A história da trajetória do astrônomo e matemático britânico Edmond Halley e os registros da passagem do cometa Halley.

 foram tema de uma palestra promovida pelo GEA (Grupo de Estudos de Astronomia) em conjunto com o Planetário da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), realizada na noite de sexta-feira (18), no campus de Florianópolis.

Edmond Halley ficou conhecido pela sua grande descoberta da periodicidade da passagem do cometa Halley pelo planeta Terra. Em honra a ele, o cometa recebeu seu nome. Com uma média de ocorrência a cada 76 anos, o cometa Halley se destaca por ser o único cometa de curto período visível a olho nu, aparecendo no céu duas vezes em uma única geração humana. Sua última aparição foi em 12 de abril de 1986, e de acordo com a Nasa, sua próxima passagem está prevista para ocorrer em 2061.

Para que o evento ficasse marcado na memória dessa e das próximas gerações, uma cápsula do tempo com uma valiosa coleção de artigos, livros e imagens relacionados à última passagem do cometa na terra foi montada. Ela ficará em posse do GEA, fundado justamente na última passagem do Halley, e se mantém ativo desde então.

O presidente do GEA, Adolfo Stotz Neto, 73 anos, explica que o grupo existe por causa do cometa Halley, em uma reunião para observar sua passagem.

“Na época, conseguimos com a Celesc desligar a luz do Morro da Lagoa e reunimos uma grande parte da população. Depois disso, decidimos continuar com palestras e outras atividades. A passagem do cometa é a raiz do nosso grupo”, relembra.

Stotz explica que a escolha de 2023 para a criação da Cápsula do Tempo tem uma razão: marca o término da metade do intervalo desde sua última passagem.

“Nós vamos completar 38 anos de GEA, o que significa que o cometa Halley também. Ou seja, agora ele vai levar mais 38 anos para chegar à Terra, que será em 2061”, relata.

“Eu não estarei mais aqui, mas quero que a cápsula seja um recorte de uma época muito importante para nós. Quero que as pessoas de 2061 façam a mesma coisa, registrem a passagem e encapsulem algo também. E, claro, que abram a nossa cápsula”, diz rindo.

O médico e membro da diretoria do GEA, Alfredo Martins, 73, é um entusiasta da astronomia e ministrou a palestra para mais de 50 pessoas no Planetário da UFSC. Para ele, a criação de uma cápsula do tempo é também uma forma de preservar uma memória importante para a astronomia. “Ao longo desses 38 anos, reunimos recortes de jornais, artigos, cartas celestes, fotografias, livros. Tudo isso está na cápsula do tempo”.

Martins conta que a cápsula ainda ficará aberta até o fim do ano para reunir mais contribuições de pesquisadores e entusiastas.

“Nós pedimos, inclusive, que caso alguém tenha algo que remete a 1986 e ao cometa Halley e queira colocar na cápsula, venha até o Planetário da UFSC e nos entregue. Será um prazer”. A cápsula será lacrada e ficará em posse dos membros do GEA por mais 38 anos até o retorno do cometa Halley, em 2061.

Um dos participantes do evento, o advogado Flaviano da Cunha, 51, estava muito feliz de participar de um momento, que na visão dele, é muito importante para os amantes de astronomia.

“O tempo que o cometa demora para voltar é uma geração inteira e, às vezes, mais que uma geração. A cápsula também vem nesse sentido de relembrar como era o estilo de vida das pessoas na época”, relata.

Uma foto dos participantes da palestra também será guardada na cápsula do tempo. Um momento eternizado na memória de todos.

NSC

(48) 9 9932 3650

gea.cfh@contato.ufsc.br